Diretório de Negócios da Brasil

Sindicato Nacional dos Juizes Arbittrais do Brasil

Endereço

Http://juizesarbitraisdobrasil.blogspot.com/, Brasilia-fd, 70089970

Clique aqui para ver o mapa interativo
Clique para ver o mapa interativo da Sindicato Nacional dos Juizes Arbittrais do Brasil

Descrição sobre Sindicato Nacional dos Juizes Arbittrais do Brasil

SINDJA é sinônimo de eficiencia e seriedade ao falar-se de arbitragem,justiça arbitral no Brasil.SINDJA foi fundado em 2003 e teve seu direito de existir reconhecido por sentença  da 15 ª vara federal do TRF1.SINDJA tem um presidente e uma diretoria que não vende carteiras de juiz arbitral,mesmo em seus momentos economicos-financeiros mais dificeis lutando contra os desmandos administrativos do Ministério do Trabalho.Prof.Manuel Nunes dos Santos Neto-Leo Santos,presidente do SINDJA tem mais de 900 sentenças arbitrais prolatadas.Uma de suas sentenças mais polemicas e de grande porte foi a que desapropriou um navio de nome Seagull7 no Porto de Itaqui/MA em favor da tripulação que estava faminta naquela localidade sem receber salarios em 19 de julho de 2010.O caso tornou-se público porque alguem que não foi o juiz arbitral do caso,sabendo da arbitragem,propalou-a aos 4 cantos.

Comunicado de Imprensa da Sindicato Nacional dos Juizes Arbittrais do Brasil

SINDJA NO SENAC [quarta-feira, 6 de julho de 2011]

O SINDJA realizou em Maio 2011 curso junto ao SENAC -MA quando muito mais divulgou e sedimentou a Arbitragem em São Luís,terra natal do presidente do sindicato.

O frisson causado desde 2010 com a sentença ddo presidente do SINDJA expropriando um navio e no ano seguinte realizanddo curso dentro de uma instituição respeitada como SENAC,levou algunns setores da advocacia ludovicense a movimentar-se e buscar fazer realizar na Câmara de Vereadores de São luís uma " Audiência Pública Sobre a utilização da Arbitragem na Solução Extrajudicial de conflitos em São Luís". Para o SINDJA, a realização dessa audiência foi o sinal de que, de fato,cumpriu seu papel de dizer " Acorda Maranhão" , comp determina seu objetivo social quanto à Arbitragem: Gerar a cultura do Uso da Arbitragem pela Sociedade.

 A repercurssão da expropriação do navio estrangeiro em 2010 e o curso no SENAC em 2011 foi o estopim, o toque de alvorada aos maranhenses em relação ao uso da arbitragem.

Mais ainda: pelas razões acima expostas o SINDJA foi contatado por vários setores da cidade de Marabá/PA onde desde o ano passado-2010- tramita um processo no cartório criminal federal daquela cidade,cujo processo foi movido pelo Ministério Público contra um homem residente em Taguatinga/DF e que lá se apresentou vendendo carteiras e diplomas de juiz arbitral ostentando brasão da república e outras práticas condenadas pelo SINDJA porque são ilegais.Desde o início de tais " artes" pelo individuo réu naquele processo que o SINDJA foi contatado pelo TRF de Marabá para obter informações sobre a tal pessoa e seu " tribunal".Obviamente o SINDJA informou o óbvio: Não é associado ao sindicato e a instituição citada é desconhecida do SINDJA.Mais ainda, o SINDJA prestou totais esclarecimentos ao TRFde Marabá com o intuíto,mesmo, de levar o indiciado à punição porque o SINDJA não compactua com esse tipo de mercatilismo criminoso da Arbitragem.

tendo o fato e o processo se tornado público e alguem lido em jornal do Maranhão que o SINDJA estava realizando curso no SENAC-MA, imediatamente foi contactado por grupos interessados em receberem treinamento adequado ao exercício da funções de juiz arbitral e neste momento está sendo preparada uma turma que se submeterá ao Exame de Proficiência em Mediação,Conciliação e Arbitragem no estado do Pará. Acrescente-se:em razão da existência do processo judicial contra o mau elemento que foi a Marbá vender carteiras e diplomas de juiz arbitral, o presidente do SINDJA foi entrevistado ao telefone, ao vivo, por uma rádio local de Marabá, o que gerou mais discussões sobre a arbitragem naquela região, a qual vinha sofrendo de um certo monopólio que o SINDJA iniciou um trabalho para extirpar tal prática monopolista.Aléem da entrevista concedida ao vivo através da rádio paraense o presidente do SINDJA determinou à assessoria de imprensa do sindicato que remetesse " press release" ao jornal de maior penetração na região, o Correio Tocantins que publicou matéria conforme o release recebido.Isto é o SINDJA vencendo barreiras e fronteiras!

 


Ver Mais

Cursos,Palestras e Exames de Proficiência para Certificação em Mediação,Conciliação e Arbitragem [quarta-feira, 6 de julho de 2011]

Somos a instituição brasileira de maior especialização em Mediação,Conciliação e Arbitragem.a única instituição que disponibiliza Corpo de Profissionais do mais alto nível com mais alto nível de " Risk Mitigation" em qualquer procedimento arbittral que lhe é confiado.A instituição que agrega maior valor ás decisões e respeita a equidade em tudo que realiza.

Ver Mais

ARBITRAGEM,JUIZADO ARBITRAL,CAMARA ARBITRAL,SENTENÇA ARBITRAL [quarta-feira, 1 de junho de 2011]

SINDJA É EXCELÊNCIA EM ARBITRAGEM, UTILIZAÇÃO E APLICAÇÃO DA LEI 9.307/96 NO BRASIL E EM QUALQUER PARTE DO MUNDO.SOLUÇÃO DE CONFLITOS PATRIMONIAIS COM RAPIDEZ E COMPETÊNCIA.PROCEDIMENTOS ARBITRAIS COM CUSTOS MODERADOS.

Ver Mais

Sentença sobre Navio [quarta-feira, 1 de junho de 2011]

A sentença arbitral sobre o caso do navio Seagull 7 tornou-se pública por dois motivos: o caso ja era de conhecimento da imprensa maranhense e em seguida o agente da tripulação beneficiada pela expropriação da embarcação entrou com uma ação imoral em nitida litigancia de má fé,dando na petição inicial o seu próprio endereço como sendo do SINDJA,buscando obter uma liminar para vender o navio sem a participação do SINDJA e sem pagar os honorários arbitrais contratados entre o Prf.Manuel Nunes dos Santos Neto e a tripulação beneficiada que o contratou ccomo juiz arbitral.Os processos podem ser vistos no site do TJMA 1º e 2º graus através de busca pelo nome do SINDJA.Processo judicial é públicco.Dai o SINDJA não haver jamais quebrado o sigilo e a discrição prevista na Lei 9.307/96.

Ver Mais